09 janeiro 2008

O ONANISMO


Tratando-se da masturbação, tivemos, principalmente por objecto, considerar este hábito na infância e no vigor da mocidade, porque é então que produz as mais terríveis ruínas no organismo.
Poderíamos, todavia, falar do onanismo nas diferentes idades da vida; porque, ainda que nos adultos os seus efeitos sejam menos terríveis do que nos jovens, contudo, produz naqueles consequências mais graves.
Não é raro ver homens, que perderam a memória, serem atormentados por dores contínuas, e caírem enfim no mais completo marasmo, em consequência destes vergonhosos excessos.
As pessoas de um e outro sexo que se entregam a esta pratica, fazem-na com tal paixão, que as praticas normais do amor já não tem atracção para elas: há algumas até, que renunciaram absolutamente a este acto natural.
Nos adultos, esta paixão observa-se principalmente entre os afeminados, os imbecis, e principalmente os idiotas.
Muitas vezes, também, se assenhoreia dos adultos de um ou outro sexo, que, por necessidades de diversas ordens, são obrigados a viverem celibatários.
Algumas vezes, enfim, domina indivíduos que, por sua instrução ou posição social, parecem dever estar em guarda contra semelhantes excessos.

FOURNIER, H. O onanismo*: suas causas, perigos e inconvenientes para o indivíduo, família e sociedade: remédios / H. Fournier, trad. Narciso Alberto de Sousa. - Lisboa: Guimarães & C.ª Editores, (19??). Pág. 14-15.


Via a funda São

Onanismo* - de Onan, n. pr.

s. m.,
-satisfação do prazer sexual através da masturbação;
-qualquer forma de coito interrompido de maneira a evitar a fecundação

Sem comentários: