17 novembro 2006

Os beijos que já dei II

Hoje acordei a pensar, mais uma vez, nos milhares de beijos que já dei nesta vida, dos beijos que já passaram por esta minha boca linda, sim que minha boca é linda não hajam dúvidas e que beijo bem duvido que hajam contestações... Dos tantos beijos que já dei, de muitas bocas porcas que passaram por mim, ainda continuo a diferenciar... Sim, diferenciar e não comparar com os que já passaram porque penso no que disse minha amiga Odalisca (senhora dos Harém e de todos homens): Um beijo não pode ser com muito cuspe, cheio de saliva. Tem que ser seco com as línguas tesas (esta parte é minha (risos)) e quando penso que, se todas gajas pensassem como a Odalisca, que sabe como deve ser um beijo (linguado) saberiam, de facto, como pôr um gajo teso sem tirar a roupa... Porque será que muita mulher não sabe quão poder tem a língua? Deve ser porque nunca ouviram falar dum linguado ou ouviram e fizeram ouvidos de mercador... Minhas queridas comecem a beijar com audácia e melhorem a vossa libido pois é muito importante começar do beijo e terminar na pachacha... Abrir as pernas sem saber beijar é que nem um jogador que joga sem saber driblar com bola...


Tenho dito,

Clandestino

Sem comentários: