10 fevereiro 2006

Cultura da Bunda


Quem nunca torceu o pescoço, deu meia volta, não contentando com o rosto e foi confirmar também o tamanho da bunda. Quem nunca sentiu-se constrangido na rua por estar atras de uma bundona. Quem nunca tropeçou, bateu o carro, desequilibrou-se na moto, olhou para o retrovisor, por ver uma bundinha. Quem nunca contou para um amigo que viu uma bunda grande. Que nunca fixou o olhar na bunda da moça desfilando ou deitada na praia. Quem nunca esqueceu as funções biológicas que ela representa e quis usá-la para outros fins cabíveis. Quem nunca cobiçou bunda de amiga, vizinha, colega, aluna, prima e namorada.
Quem nunca brigou por falarem ou mexerem com a bunda de mamãe, irmazinha, irmazona ou da namorada.

Se você nunca passou por algumas destas suposições aqui exposto, é paneleiro, sofre de cataratas ou é míope. Vá ao médico antes que seja tarde.

O que é bunda ?

Genericamente bunda é uma saliência de varias configurações na parte traseira, principalmente no corpo feminino.

Etimologicamente bunda provêm da palavra mbunda ( palavra pertencente a um grupo étnico da região oeste de Angola - kimbundu ). Então mbunda , originou a palavra bunda objeto desta reflexão que significa nádegas.

Segundo a geo-bundologia ciência que estuda as formas e formatos de bunda, podemos encontrar vários tipos de bundas no nosso planeta:

As chapadas – são aquelas que quase não se nota a sua existência.
As bundas gordas – aquelas que se confundem com as ancas.
Bundas do tipo tábua – são aquelas que não se nota a divisão ou risco entre as duas metades.
Bunda celulosa ou defasada – aquela em que certos buraquinhos ou o excesso de furinhos são marcantes.
Bunda embutida – aquela que parece que esta nas costas.
Bunda estúpida – é a hipérbole no mundo bundologico.
Bunda perfeita – aquela que deus não deu, mas desenhou.
Bunda assanhada – no corpo pequenino ela se destaca.
Bunda aguada – fica parece gelatina ou pudim mal feito.
Bunda empinada – apesar de pequena, a moça curva o dorso e endurece-a para trás.
M S B – moças sem bunda , caso típico de algumas asiáticas.
Bunda proibida – aquela que não admite nenhum tipo de comentário (de sua mãe ou irmã ).
Metabunda – aquela defeituosa, de um lado avolumado do outro apequenado.
Tipo dois coquinhos – mulheres magrinhas com duas buchechinhas.

Essa senhora bunda já recebeu suspiros e inúmeros apelidos por parte da comunidade lingüística lusofona como : Cuzão, rabo, rabuaça, bumbum, popozão, turugu, montanha, baia farta, peida, etc etc.

Até ditados foram criados, como:

Quem vê bunda ignora coração.
Quem tem bunda facilmente desbunda.

Curioso é que as mulheres dando conta desta fonte de admiração masculina resolveram dar mais volume ao nome, fazendo exercícios físicos localizados, colocando calcinhas com enchimento fraudal, e as mais ousadas não exitam em colocar silicone na bunda. E em alguns países estranhamente as mulheres passaram admirar bundas masculinas ( bundão ). Que impropriedade!

Para os brasileiros – é paixão nacional
Para os angolanos – é marca nacional
Para os portugueses – é um mínimo detalhe
Para os cabo verdianos – é um grogue a mais.
Para os são tomenses – é uma safra especial de coco
Para os moçambicanos – é um prazer Dela-kama

Luís D´Angola Junior
Chefe de Redação da Muangolê Notícias

Sem comentários: