05 junho 2008

Sobreviventes Mortos de uma pátria (hiv-sida)


Navegadores egoístas possuídos pelo ignorante tabu das épocas saloio, coragem tiveram
Sem mesmo podermos ser capazes de expressar vontades, tempo ou lugares premeditadamente
Ao mar da vida lançados fomos, numa jangada sem remos a deriva da sabedoria dos perigos emersos nos tempos modernos.
Alimentados de ofertas poeirentas, em esmigalhada obrigação, sobrevivemos... sempre rodeados
Pelo cheiro da morte, órfãos da informação existente, em mercadorias e clientes transformados fomos, talvés pela incapacidade de podermos distinguir um balão de um preservativo, quase que chicoteados na dúvida criada em nossas cabeças éramos. *Nenhum Segredo Dura para Sempre*.
Um dia Emergimos também no conhecimento, ainda que tardio pela perca deirmãos, primos, pais, mães, amigos, artistas da Pátria... tentando ela redimir-se dos erros cometidos
Formou instituições incapazes de fazer voltar quem por ignorancia, inpotência, perdemos... e pouco ainda faz para os que ainda nos restam, sem que acabemos todos, a morte leve.
Pela vida que nos resta, suplico aos que preservativo não usam por varias razões... sirvam-se de
Formas de uso diversificadas pelos sobreviventes do preservativo, façam valer a vida.
Compta.

Sem comentários: