23 janeiro 2008

O Cidadão Mocambicano...


Imagem do CARTOONICES

Quando temos uma PGR (Procuradoria Geral da Republica) queimada e uma mídia desacreditada, um judiciário em cinzas, o que esperaríamos como efeitos? No meu entender, o primeiro efeito, é que o cidadão, fica numa situação de extrema vulnerabilidade e amaldiçoa sua sorte.
Fica arrependido de ter votado num governo que não zela pelos seus interesse, fica revoltado por pagar impostos que são aplicados para fins pessoas e não para investimentos públicos, fica indignado porque todas as garantias constitucionais de que ouve dizer não passam de letra constitucional morta e sem condições de constituírem suportes para uma nação de justiça social, um Estado de Direito.
Não quero acreditar que por isso entraríamos numa situação de caos ou anarquia, mas estaríamos numa situação em que o cidadão pegaria fogo e não imaginamos quais seriam as consequências.

Preferi pensar em palhotas ao olhar para as quatro instituições acima mencionadas, porque nasci e cresci em uma palhota e por duas vezes a palhota pegou fogo. Nas duas vezes que ela pegou fogo não foi possível salvar nada.
Numa das vezes o fogo foi posto por ladrões, era noite e não percebi o que aconteceu, lembro-me somente de largas chamas e de vizinhos a deitarem água sem sucesso.
A outra vez foi de dia e não sabemos de onde veio o fogo. Lembro-me somente que fiquei impotente e assisti sem poder fazer nada, o fogo a consumir a nossa palhota.

Se o fogo pegar, até o Presidente da República se queimará.

Para impedirmos que o fogo pegue, nada melhor que a verdade. Penso que esta não é uma luta de jornais ou magistrados. Esta é uma questão de soberania, uma questão de justiça e verdade. O cidadão tem direito a informação. É importante que alguém venha falar a verdade, seja ele quem for, o próprio Dr Paulino, o Supremo, O Juiz Conselheiro ou o PR. Porque a dúvida é o começo da derrota e a derrota o começo da destruição, então não deixem o povo na dúvida.
O Dr Madeira para deixar as coisas limpas veio e disse a sua justiça, quem não quer acreditar o problema é dele. Isso tranquilizou os cidadãos e impediu que o fogo pegasse, já uma mídia tinha incendiado a palhota.

Embora os casos do paiol, do Ministério da Agricultura, das Bombas da Catembe, entre outros, nos tenham acostumado ao fogo, não creio que estaremos em condições de suportar este, se realmente pegar.

Sempre,


Custódio Duma - Defesa de Direitos Humanos

Sem comentários: