25 outubro 2006

Alguns poemas

Alguns gostam de punheta
Outros de minetes
Eu, mais modesto,
Gosto mesmo é de um
Broche em noite de luar,
Na praia.

*

Sonhei um sonho fudido:
Muitas putas
Me lambiam
Da cabeça aos pés.
Quando acordei
Uma gaja feia
Me olhava com olhos
De poucos amigos.
Borrei-me todo de tristeza.

*

— Meu brother
Existe coisa melhor do que uma cerveja gelada?
— Existe, brother: uma gaja de vinte anitos,
Boazuda pra caralho e cheia de quentura entre as pernas,
Meu brother.

*

Sou macho
Por isso, já broxei.
Sou macho
Por isso, já tive muitas gajas
Sou macho
Por isso, já menti muitas gajas
Sou macho
Por isso, já fudi gajas de dono.

*

Muitos são doutores em astrologia
Alguns são doutores em politicagem
Outros são doutores em teologia
Vários são doutores em paneleiragem
Clandestino é doutor em conalogia*
Os demais são doutores em punhetagem.

*Ciência que estuda as várias conas existentes neste planeta

*

Não, não sou Jesus Cristo
Nem a puta Madalena
Não, não sou Napoleão Bonaparte
Nem a rainha da Espanha
Não, não sou Lampião Virgulino
Nem a valente Maria Bonita
Não, não sou nenhum deles
Não sou nenhuma delas
Sou apenas o Clandestino
Conateiro, conatólogo e louco,
Na opinião dos punheteiros.


*

Putinha, putinha, minha doce putinha,
Quando comerei a tua quente goiabinha?
Comerei hoje, comerei ontem, comerei amanhã?
Ou só comerei quando amadurecer de experiência?

1 comentário:

Pajo disse...

Eu acredito k muitos de nos homens, principalmente mocambicanos somos cobardes em relacao ao k keremos, kuando se trata de adquirir uma certa postura, em relacao ao ser verdadeiro de cada um...fugimos.Ha muito gajo faggot(falso).Mas boa continua...acredito k podemos vir a mudar.