16 abril 2006

Porque gostas de mim?

Minha vida tem um buraco que não sei de que é feito. Era para tudo ser muito fácil, mas eu encasquetei de fazer tudo do jeito mais difícil. Meu problema sou só eu. Não me odeiem por eu ser assim. Eu tenho a culpa de todas as culpas e, as que não tenho, tomo para mim. Eu tenho crises de segunda a noite porque me dá um vazio de não me encontar. Eu tenho crises de quarta porque me encontrei e não gostei. Tem quem me ache sublime por tão alegre e tão melancólico assim. Eu me acho insuportável. Ok, e ao mesmo tempo a pessoa mais porreira, fixe, legal do mundo.

Eu não gosto que me escolham caminhos e fico fudido porque há um tempo tenho deixado a vida escolher. Eu tenho quase tudo e às vezes me sinto completamente sem nada só porque a chuva cai e o sol não brilha. E se brilha, tem o maldito tom de amarelo a que eu chamo de pureza. Que eu já não sei se sei distinguir.

Eu tenho medo de crescer e ao mesmo tempo cresci rápido demais. Eu me afobo e paro. Mas quando paro, fico afobado, porque acho que o tempo passou e eu não fui junto.

Porque gostas de mim? Perguntaste-me e se perguntaste isso em um recado de voz. Eu não sei responder. Gostas de mim por tudo o que eu sou e por tudo o que eu não sou. E eu sofro, porque não sei ser não sendo. Não ser é ser sem escolher. E eu gosto de escolher, sabes? E digo sempre: Sou de quem quero ser, não de quem me quer!

De verdade? Não sei porque te falo tudo isso. Acho que quero te convencer de uma vez que eu sou louco para poder agir feito um sem o medo de de repente descobrires que eu sou louco e de repente não gostares mais de mim. Ou quero te convencer que não existe porque gostar de mim. Só porque sou louco.

Pediste-me para escrever um poema. Mas para escrever poema, tem um lado meu que precisa de férias dos dedos ávidos por palavras que façam sentido sem beleza. Porque, afinal, as vezes eu acredito em beleza, as vezes não.

Sabes porque eu não me encontro? Porque por definição eu sou contraditório e quem é contraditório não pode se definir. Se não me defino, não sei quem sou, não me encontro. Mas se deixo de ser contraditório, deixo de ser eu e, logo, também não me encontro

Agora explica-me, porque raio foste gostar de mim?

Sem comentários: