13 abril 2006

Pela boca do Mestre

Vou dar, agora, alguns exemplos do que se meteu na cabeça dessa gentinha e do que puseram na boca do seu Mestre — puras confissões de «belas almas»*.

«Se nalgum lugar as pessoas não vos receberem ou não quiserem ouvir-vos, quando saírem dessa terra, sacudam o pó das sandálias, como aviso para essa gente.» (Marcos, 6, 11) - Que evangélico!...

«Mas todo aquele que fizer cair em pecado algum destes pequeninos que crêem em mim, melhor seria que atirassem essa pessoa ao mar com uma pedra de moinho atada ao pescoço.» (Marcos, 9, 42) - Que evangélico!...

«E se um dos teus olhos te faz pecar, arranca-o. É melhor entrares no Reino de Deus com um só olho do que teres os dois e ires parar ao inferno, onde os vermes não morreram e o fogo nunca se apaga.» (Marcos, 9, 47 e 48) - Não é propriamente do olho que se trata...

«Prestem bem atenção: estão aqui presentes algumas pessoas que não morrerão sem verem chegar o Reino de Deus com poder.» (Marcos, 9, 1) - Que bem mentiste, leão!...

«Se alguém quiser acompanhar-me, tem de se esquecer de se esquecer de si próprio, e levar a sua cruz para vir comigo.» (Anotação de um psicólogo: A moral cristã é refutada pelos seus porquês: as suas «razões» refutam — assim é que é cristão.) (Marcos, 8, 34)

«Não julguem ninguém e assim Deus não vos julgará! É que Deus há-de julgar-vos do mesmo modo que vocês julgam os outros, e usará a mesma medida que vocês usarem para os outros.» (Mateus, 7, l e 2) - Que conceito de justiça, de «integridade» de um juiz!...

«Se amarem apenas aqueles que vos amam, que recompensa poderão esperar de Deus? Não fazem também isso os cobradores de impostos? E se saudarem apenas os vossos amigos, que há nisso de extraordinário? Qualquer descrente faz o mesmo!» (Mateus, 5, 46 e 47) - Princípio do «amor cristão»: quer, no fim de contas, ser bem pago...

«Mas, se não perdoarem aos outros, o vosso Pai também vos não perdoará.» (Mateus, 6, 15) - Muito comprometedor para o referido «Pai»...

«Procurem primeiro o Reino de Deus e a sua vontade e tudo isso vos será dado.» (Mateus, 6, 33) - Todas estas coisas: ou seja, alimentação, vestuário, tudo quanto é necessário à vida. Um erro, para nos exprimirmos modestamente... Logo a seguir, Deus aparece como alfaiate, pelo menos em certos casos...

«Alegrem-se quando isso acontecer, saltem de contentamento porque no céu serão largamente recompensados. Foi assim que os antepassados dessa gente maltrataram também os profetas.» (Lucas, 6, 23) - Gentalha desavergonhada! Já se compara aos profetas...

«Não sabem que são templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destrói o templo de Deus, também Deus o há-de destruir a ele. De facto, o templo de Deus é santo e esse templo são vocês.» (I Coríntios, 3, 16 e 17) - Não há desprezo que baste para semelhantes propósitos...

«Não sabem que os crentes hão-de julgar o mundo? E se o mundo vai ser julgado por vocês, como é que não são capazes de resolver pequenas questões?» (I Coríntios, 6, 2) - Infelizmente, não é apenas a fala de um alienado... Esse temível impostor prossegue, palavra por palavra: «Não sabem que nós até havemos de julgar os anjos, quanto mais as coisas deste mundo?»

«Não mostrou Deus que a sabedoria deste mundo não passa de loucura? Pois, uma vez que homens, com a sua sabedoria, não reconheceram a Deus na sabedoria que ele manifestou, Deus achou por bem salvar os crentes por meio da mensagem que anunciámos e que aparentemente é uma loucura. (...) Irmãos, pensem no que eram, quando foram chamados por Deus. Não eram muitos os intelectuais, os poderosos ou os da alta sociedade. Pelo contrário, Deus escolheu aqueles que os homens tinham por ignorantes, para envergonhar os sábios, e aqueles que os homens tinham por fracos, para envergonhar os fortes. Deus escolheu os que, no mundo, não têm importância nem valor, para deitar abaixo os que parecem importantes. Assim ninguém se pode orgulhar diante de Deus.» (I Coríntios, l, 20 e seguintes) Para compreender esta passagem, um testemunho de primeira ordem para o estudo da psicologia de toda a moral de tchandala, leia-se a primeira dissertação da minha Para a Genealogia da Moral: nela foi pela primeira vez trazido a lume o antagonismo de uma moral nobre e de uma moral de tchandala, nascida do ressentimento e da vingança impotente. Paulo foi o maior de todos os apóstolos da vingança...


in O Anticristo, Nietzsche

* Para a tradução das citações bíblicas foi utilizada a Bíblia Sagrada (Franciscanos Capuchinhos) da Difusora Bíblica, Lisboa, 1993. (N. do E.)

Sem comentários: