23 março 2006

A Razão da Desculpa

Gastamos muitas energias a arranjá-las, a inventá-las, a prepará-las, a ensaiá-las e a dá-las. Vemo-nos muitas vezes gregos para as encontrar. Há alturas em que pensamos nelas, que as justificamos, e que até achamos que são bem boas. Noutras vezes perdemos a paciência quando as recebemos esfarrapadas e à pressa. Traquilizamo-nos quando são justificadas. Irritamo-nos quando são de mau pagador. E temos pena, muita pena, mas muita pena mesmo, quando são deficientes (coitadinhas). Passamos a vida a ouvi-las.
Desculpas são aquelas coisas com escamas. Por isso existem muitas mal amanhadas.

Sem comentários: