16 março 2006

Foder ou não foder?

Hoje em dia, o que não falta a uma pessoa (sobretudo se for rapariga) é oportunidades para ter sexo. Basicamente, só passa jejum quem quer.

Realmente, quando não se tem nenhum compromisso com ninguém, porque não dar uma boa foda quando um potencial bom parceiro nos aparece à frente? Porque não passar um bom momento, ainda que não seja por amor? O sexo tem necessariamente de ser por amor?

O compromisso que devemos assumir deve, acima de tudo, ser connosco próprios. Isto significa obedecermos aos nossos próprios critérios. Porque uma foda nunca deve ser dada só por dar, mas porque a queremos dar naquele momento com aquela(s) pessoa(s). E, muitíssimo imporante, não devemos em momento algum descuidar a nossa saúde - sim, porque nós às vezes pensamos que os nossos amigos "não podem" ter doenças, porque os conhecemos bem e os achamos responsáveis - contudo, as pessoas portadoras de doenças venéreas também são as melhores amigas ou as companheiras de alguém.

Posto isto, faz de nós piores ou melhores pessoas ter sexo com quem e quando queremos? O corpo é nosso, a vida também; cada um opta pelo estilo de vida que melhor se adapta à sua personalidade em determinada altura da vida. Se não sentimos por ninguém o suficiente para assumir uma relação séria, se sentimos atracção por alguém em determinado momento, se protegermos o nosso corpo, porque não viver a vida da maneira que nos dá gozo?

Há muito boa gente que pensa que caiu do Céu e aos 20 anos se acha digna de julgar os comportamentos de outrém, para 10 ou 20 anos depois não estar assim tão segura das suas falsas convicções e trair toda uma vida (por vezes com marido/mulher e filhos) que, no fundo, nunca foi verdadeiramente sua.

Original post AQUI!

Sem comentários: