13 julho 2007

Leituras

- A flor é uma coisa diferente para cada pessoa. Para Antón Gaston é poesia. Para a abelha, um néctar.

Mister Alba acrescentou:

- Para um asmático, a flor é um veneno.

- Para a mulher é um adereço - prosseguiu David. - Para um morto é o seu último desejo. Um naturalista italiano disse que a flor é a menstruação da planta. Suponho que, para um industrial francês que se dedique ao negócio da perfumaria, a flor seja um aroma subdesenvolvido.

Eu decidi participar no jogo.

- Entre todos eles - afirmei -, só o jardineiro acerta. Para um jardineiro, uma flor não passa de uma flor.

Sem comentários: