13 dezembro 2006

Pioneiro

Houve um tempo que pensei que fazia parte da geração dos primeiros malandros no mundo. Isso deve acontecer com todo adolescente/jovem, achar que está reinventando o mundo simplesmente porque está descobrindo coisas que ignorava. Faz parte da pretensão ignorante da idade.

Achava que, por exemplo, a facilidade de ter muitas gajas e poder ludibria-las todas representava o cume da malandrice no mundo, sem perceber que desde que o homem aprendeu a desenhar nas paredes das cavernas fazia questão de registrar seus eventos sexuais.

Quando reparo nos jovens que pensam estar a descobrir algo que já foi descoberto há muito, rio-me da pretensão de todos nós. Ser implacável e cruel é lamentável. Mas, a julgar pelo que fazem, triste descobrir que o clandestino foi o pioneiro de muitas malandrices...

Amigo, enquanto estás a caminho, eu já fui e voltei!

Sem comentários: