24 novembro 2006

Compreensão!


Alguém (amiga da queca) por quem não sinto nada, só um leve carinho, uma leve admiração, talvez um seco respeito, concluiu, com um tom de lamento pelo fim da nossa relação de raros e curtos encontros casuais, que eu precisava de alguém que cuidasse de mim. Senti-me pequeno, um menino, incomodado com essa situação, mas admitindo que queria isso também.

É possível crescer quando tudo que se quer é só compreensão?

Sem comentários: