08 novembro 2006

As gajas que nos completam

Já repararam que quando éramos mais novos queríamos uma gaja e era aquela que nós pensávamos que amávamos e que iriamos casar com elas? É aqui que descobrimos que estávamos enganos em relação à gaja pois passa-se o tempo e passamos a apreciar melhor e, descobrimos que para amarmos e/ou gostarmos de verdade duma gaja não pode ser só uma coisa e sim tem que ser: MULHER, PERFEITA E LINDA... Então são três coisas! Mas existe uma quarta coisa que é a QUECA!
Está mais que certo que as três primeiras palavras são relativas, pois nem toda gaja com rata é mulher e nem toda gaja com boas mamas e bom cú, é perfeita! Sem falar de beleza, né...? E descobrimos a diferença na quarta coisa... Portanto, depois da primeira queca com a gaja, se a gaja não nos completa em 50%, ou seja, em pelo menos duas das quatro coisas passamos a ver a gaja como objecto de satisfação e prazer e é aqui que nós procuramos outras até decidirmos por uma tal...! Para dizer que, geralmente, só distinguimos amor com necessidade a partir dos trinta anos ou perto disso...

Sem comentários: