16 outubro 2006

Eu sou eu


Eu sou eu: um hipócrita. Mentiroso, falso, fingido, sonso e manipulador.

Minto que minha cara nem treme. Eu minto com uma facilidade tão grande que sou capaz de te convencer a acreditar na minha palavra e desacreditar a da tua mãe.

Eu sou falso. Pela frente sou boa gente, por trás eu largo a porrada (metaforicamente, claro).

Eu sou traíra. Se fores minha namorada, saiba que vais levar chifre. Não é porque tenho alguma coisa contra ti, mas é minha natureza: eu nasci de uma traição e portanto sou traíra desde a concepção.

Tenho problemas em relacionamentos longos. Tudo porque não vi exemplos de que relacionamentos longos durem mais que sua longevidade: ou seja, o dia a dia já é o futuro, não há planos. Casamento: só se eu fizer terapia intensiva, de choque, provavelmente.

Mas eu sinto falta de mulher. Não de uma rata apenas, mas de uma mulher, uma fêmea. Mesmo sabendo que vou trair, sacanear e mentir, eu não me contenho. Se aparecer uma mulher boa, eu vou pra cima. Depois ela vai sofrer, chorar e me amaldiçoar, mas não sei mudar, é minha natureza, você sabe.

Aí depois que se sente mal sou eu. Remorso, peso na consciência, pedidos de perdão, afastamento.

Este sou Eu. Muito prazer!!!

Roubado DAQUI!

Sem comentários: