27 julho 2006

Não adianta ser o mais velho...


Nas minhas relações, não consigo ser o mais velho por mais que seja. Tentar ser é a maneira mais rápida de ser infantil.

Muitas vezes vejo a preocupação de jovens em ser o mais velho numa relação e impressionarem e, eliminam a espontaneidade dos gestos. Estão mais interessados em ser "o que pensa que ela pensa" do que expressarem as próprias fantasias. Abandonam o lado infantil, que todos temos, de certeza...! Ou seja, a alegria, a irreverência e o prazer. Censurando as infantilidades, sacrificam também a criatividade.

Tudo é calculado, o que estressa. Sofrem por antecipação. Não tentam adivinhar se ela vai se interessar ou não, dizem de cara que ela não irá gostar. Não oferecem a possibilidade de escolha. Decidem por ela.

Cuidado, dessa forma não serão nem o que a conquistou, nem o que ela desejaria que fossem. Numa relação verdadeira, agradar é ser sincero. Quem se esforça em ser sincero já mente...!

Ensinem à vossa dama os seus gostos, os lugares que costuma frequentar, as músicas favoritas, o enredo emocional de seus brow's. Assim como podem circular e aprender com o mundo delas. Pensamentos diferentes enriquecem a experiência e ampliam as afinidades.

Ninguém é superior pela idade. Se há arrogância ou prepotência de uma das partes, não existe amor, mas dominação. E mais: se ela acha que és demasiado infantil, parvinho, inconsciente, malandro é porque não te merece... Manda a gaja fumar ovo!

Adaptado do Carpinejar

Sem comentários: